terça-feira, 8 de abril de 2014

Descobri que te amava quando tive que te esquecer...


Eu sou uma pessoa resistente ao “eu te amo” porque acho essas três palavrinhas carregadas de significado, e como já descobri que não amava, depois de ter dito amar, eu hoje penso muitas vezes antes de dizer essa frase tão forte.

Eu e você terminamos antes que eu falasse que te amava, e eu não falei porque realmente não achava que fosse amor, até que, eu precisei te esquecer.

Quando eu vi o tamanho daquela saudade que me consumia eu fiquei assustada, quando me peguei te ligando de madrugada eu tive raiva de mim, quando senti sua falta na minha cama, no café da manhã e no sofá da sala vi o quanto você era importante, quando me peguei com saudade dos seus beijos, de coçar suas costas, de segurar sua mão grande e macia e do jeitinho que você falava comigo me pedindo carinho descobri que te amo.

Se não fosse amor todas as mágoas teriam bloqueado meu coração, se não fosse amor as diferenças me fariam ser mais racional, se não fosse amor as discussões teriam dado fim a esse sentimento. Mas é amor, que bom! Mesmo que tenha terminado, mesmo que eu tenha percebido só agora, fico feliz de sentir algo tão bonito. Mesmo que eu tenha que matar esse sentimento, é bom saber que por você, foi amor.

2 comentários:

Sua opinião...